Um copo de água cheio perto de uma cadeira vazia.

Um copo de água cheio perto de uma cadeira vazia.

“As constantes ausências do vereador Josenildo Gomes, mas conhecido como Nildinho, são sentidas nas sessões do legislativo”.

DSC09662

É fato público que as constantes ausências do vereador Josenildo Gomes (PMDB), popularmente conhecido por Nildinho, é sentida nas sessões do poder legislativo. Mesmo antes do recesso parlamentar do meio do ano, seus pares e militantes já tinha notado que havia na câmara um copo de água cheio perto de uma cadeira vazia, a cadeira é do vereador campeão de votos Nildinho.

Depois do recesso sua ausência continuou sendo questionada, e os arquivos de áudio e vídeo da imprensa local não consta o presidente da casa justificando suas constantes faltas. Há quem diga que o vereador passa por problema de saúde e está se tratando, mas sua ausência é tida como muito estranhada por alguns na casa do povo, especificamente por alguns de seus próprios colegas que não deixa de comentar.

Bem sabemos que algumas sessões da câmara têm deixado de ser realizada por falta de quórum, mas é fato que nos bastidores da câmara a ausência do vereador tem sido pauta constante, e ainda encontramos aqueles que apimentam mais ainda o discurso.

Nildinho foi leito com 748 votos, batendo caciques do poder quando afirmaram na campanha que ele era candidato apenas de 100 votos. Com trabalho ele conquistou o povo que de logo lhe retribuiu nas urnas.

Hoje, o vereador é alvo de critica não somente na câmara por suas constantes ausências, mas por ter deixado de manter e visitar suas bases, abrindo espaço de outros vereadores pré-candidato comer o pirão na casa do próprio vizinho como já vem acontecendo.

O que não se pode hoje em Guamaré é um vereador deixar um copo de água cheio com sua cadeira vazia, tendo em vista que há somente uma sessão por semana e isto queira ou não serve de prato cheio para os concorrentes.

Facebook
Twitter
Instagram
WhatsApp